UM GRANDE HOMEM DE POSSE PARA ALCAÇUZ/RN CONTANDO FATOS

Um representante da PMGO, mais especificamente do 24º BPM, Posse, está prestando serviços pela Força Nacional em Alcaçuz/RN

Cabo Acioli em Alcaçuz/RN

Cabo Acioli em Alcaçuz/RN

Em Posse e cidades vizinhas é conhecido o nome do Cabo PMGO Valber Alexandre Acioli Batista. Um pernambucano, vindo de Catende nos idos dos anos 90 pelas mãos de seu saudoso irmão Icleiber José Acioli Batista (falecido em 1994). Acioli seguiu sua carreira após ter sido formado Soldado na extinta 2ª CIPM (hoje 24º BPM). Acioli, ex-integrante do GPT de Posse é atualmente integrante da Força Nacional, representando o Estado de Goiás em vários locais Brasil afora. Ele manteve contato com possenews.com.br e assim foi possível obter algumas fotos exclusivas da situação real vivida no presídio de Alcaçuz/RN. Todos os dias e noites de rebelião e de ameaças constantes por parte dos detentos de aumentarem o nível de terror no ambiente interno. A separação entre os dois grupos PCC e Sindicato do RN ainda não foi suficiente para dar fim ao movimento criminoso. Entre as fotos que Cabo Acioli enviou a possenews.com.br, a título de colaboração,algumas mostram buraco feito pelos detentos que saíram praticamente em cima do local onde ele e outro colega policiavam, mas de olho no muro. A ação foi fazê-los retornarem pelo mesmo caminho e providenciar o entupimento do buraco. Possenews não teve interesse em fotos de cenas violentas.

Buraco aberto a partir do presídio

Buraco aberto a partir do presídio

 O policial militar de Goiás relata que a estratégia dos presos em quase todos os buracos foi de cavarem buracos de aproximadamente 5 metros para baixo e seguirem cerca de 40 metros em direção à rua. Se saírem na rua e ninguém ver, tchau!, se saírem dentro de alguma casa, a família deve ter sorte para eles apenas fugirem.

O número de mortos pode ser maior do que o indicado pela mídia que informa serem 27, mas alguns ainda não contabilizados podem ter sido mortos e jogados em uma fossa do presídio, foram carbonizados e alguns ainda soterrados. Proliferou nas diversas redes sociais fotos horripilantes de presos decaptados, vídeos de presos arrancando o coração de outros e colocando vários corações em baldes de lixo e assim por diante nos momentos de terrorismo vivido pelos presos em cadeias Brasil afora. Foi assim em Manaus, foi assim em Roraima, está sendo assim no Rio Grande do Norte.

POSSENEWS CONVIDA À REFLEXÃO EM TORNO DOS FATOS. NÃO OFERECE SUGESTÕES, QUESTIONA: QUEM RESPONDERÁ?

Momento de entrada do BOPE na área rebelada

Momento de entrada do BOPE na área rebelada

Quem responderá por essas mortes? Qual a solução para esse momento crítico no falido sistema penitenciário? Quando virá a tão esperada reforma do Código Penal? Até quando o valor investido na manutenção e assistência aos presos será maior que o valor destinado a alimentar crianças através da merenda escolar? Quantos trabalhadores estão sendo ameaçados de terem seus direitos cerceados porque o País não tem condições de mantê-los, mas houve fonte de recurso suficiente para se oferecer indenização às famílias de presos mortos por presos, sendo que muitos deles estavam presos por terem tirado a vida de trabalhadores que contribuíam para a Previdência, outros por terem roubado homens e mulheres com requinte de crueldade, outros por tráfico de drogas, vitimando pessoas inocentes dentro de escolas e outros por estupros, como o caso de um amplamente divulgado nas redes sociais em que foi estuprada uma criança de quatro anos.

Nossas escolas precisam de professores bem remunerados e capacitados. Nossos hospitais precisam de médicos bem remunerados. Nossas ruas precisam de policiais e bombeiros bem remunerados. Nossos presídios precisam de presos tratados com humanização, mas com o rigor da lei.Nosso país precisa de políticos humanizados e decentes.

Salvar